Matrículas 2017

Por que uma Escola Cristã ?

Por que mantemos uma Escola Cristã? E por que cremos ser necessário para pais cristãos fornecerem uma educação cristã aos seus filhos?

A Escola Cristã não é algo novo. Ela tem uma longa e honrável tradição. O que é novo é a aceitação de pais que confessam a Cristo terem os seus filhos educados em escolas das quais a Palavra de Deus é rigorosamente banida. Durante os séculos antes do nascimento de Jesus Cristo, a Palavra de Deus era central na instrução que o povo de Deus dava aos seus filhos, como o próprio Deus ordenou em (Deuteronômio 6:6-9). A educação até os tempos de Jesus era realizada prioritariamente no lar e depois com o apoio da sinagoga para o aprendizado da lei, do tabernáculo e outras disciplinas. Depois apareceram os tutores, que podem ter dado lugar às academias particulares (Gl 4:1-2 “Digo, pois, que, durante o tempo em que o herdeiro é menor, em nada difere de escravo, posto que é ele senhor de tudo. Mas está sob tutores e curadores até ao tempo predeterminado pelo pai.”).A educação fornecida para as crianças da Igreja durante os 1400 anos entre o tempo dos apóstolos e o tempo da Reforma da Igreja, em 1517 d.C., era permeada com a Palavra de Deus. Após 1517, os Reformadores, estavam de acordo no seu zelo para o estabelecimento de escolas nas quais todas as crianças pudessem receber uma educação baseada nas ordenanças do SENHOR, eles eram unânimes em sua insistência de que estas escolas deveriam ser fundadas e governadas pela Palavra de Deus, a Bíblia. Trata-se de uma aliança estratégica, para garantir a expansão do Reino mesmo no meio de uma geração perversa e corrupta. Em todos os tempos o valor e a educação que davam à criança foram determinantes no sucesso da estratégia de um país ou comunidade. Vimos isso entre os judeus, astecas, gregos, nazistas, comunistas e outros tantos movimentos que impactaram a história. Portanto, biblicamente escola só tem sentido como uma extensão da família, para com ela cooperar em aliança de princípios e propósito, e sob a cobertura espiritual da igreja.

O que é uma Escola Cristã de Educação por Princípios?

Uma Escola Cristã de EP não deve ser confundida com uma Escola Dominical, ou com qualquer outra instituição que existe para dar às crianças instrução na Bíblia. A Escola Cristã de EP é uma instituição que tem a função de instruir as crianças no variado campo do conhecimento que também constitui o currículo nacional: literatura, história, ciência, matemática, entre outros … porém trás em sua Proposta Pedagógica o método cristão de raciocínio bíblico, que faz das verdades da Palavra de Deus a base de cada assunto no currículo escolar. Portanto não significa estudar apenas as histórias bíblicas  e sim compreender o mundo na ótica do Criador e sustentador da criação, ter uma cosmovisão completa de todos os assuntos que compõem não somente o currículo como também a vida .
A Escritura Sagrada é o principal livro texto da Educação por Princípios , uma vez que esta é uma proposta pedagógica pautada nos ensinos do Mestre dos mestres, Jesus Cristo, e busca extrair os princípios transformadores de Sua prática educativa inserindo-os na educação escolar.

 

Por que devo escolher uma Escola de Educação por Princípios?

A carga horária de uma escola está estipulada em no mínimo de 200 dias letivos anuais, distribuídos em no mínimo 5 dias semanais, num período de tempo diário  de cinco a seis horas. É de se admitir que é muito tempo que uma criança/jovem passa nas mãos dos profissionais da educação, talvez mais tempo do que com os próprios pais. Isto deveria gerar em nós questionamentos, tais como: – O que estão ensinando ao meu filho neste tempo?-O que esses profissionais acreditam e passam diariamente como correto? -Por “quem” a vida deles é governada? -Qual o objetivo da escola ?- A escola está em aliança com o que cremos como família? -Qual  intenção que “o governo” tem ao preparar o currículo, que tipo de mente desejam formar?  – A quem prestam contas dessas vidas?… Enfim, é uma infinidade de perguntas que um pai cristão deveria fazer ao confiar a vida do seu filho durante 6 horas todos os dias. Será que esses não seriam motivos suficientes para nossa escolha?

Quais são as característica distintivas da Escola Cristã de EP, que garante sua existência como uma instituição educacional separada?

Algumas características:

1)A Escola Cristã de Educação por Princípios, ensina todos os conteúdos que fazem parte do currículo dentro de uma cosmovisão bíblica, ou seja, ao invés de manipular as mentes para “aceitar” a proposta de mundo sem Cristo, ensina a compreender tudo a luz da verdade; 2)Consagra todos os dias a vida de cada um dos alunos ao Senhor Jesus Cristo, começa  cada dia com uma oração a Deus e com a leitura da Bíblia, faz isto sob a convicção de que nada que o homem faça é proveitoso, a menos que Deus abençoe tal coisa. Tudo deve ser “santificado pela palavra de Deus e a oração” (1Timóteo 4:5);

3)O Planejamento das aulas é feito baseado na Palavra de Deus (bíblia), cada assunto que será ensinado trás antes a revelação e o plano de Deus (cosmovisão Cristã);

4)É estabelecida para dar aos estudantes uma educação sadia em todos as áreas da vida e não somente na acadêmica;

5)Está engajada  a treinar as crianças em comportamentos e condutas saudáveis e éticos, procura apresentar um ambiente de bom nível moral;

6)A instrução oferecida às crianças está centrada em Deus, o amor e o temor são provocados nos corações, apontando que em todos os relacionamentos da vida ela é chamada a temer a Deus, amar e perdoar;  estes são fundamentos de moralidade;

7)Como resultado do amor para com Deus, aprenderá a amar  seu próximo e respeitá-lo, honrará a seus pais, se submeterá aos seus professores, se sujeitará as autoridades, conviverá em harmonia com seus amigos e se aplicará nos estudos como consequência da compreensão do Plano de Deus.

Resposta para um Mundo em crise

Como você se posiciona frente aos vários acontecimentos do mundo? Qual a sua opinião a respeito do aborto e da sexualidade? Como você vê o casamento? Qual deve ser o destino da educação e da política?

Se alguém lhe dirigisse as perguntas acima, geralmente, a primeira atitude que tomaria antes mesmo de respondê-las seria “consultar” o seu arquivo pessoal de Princípios & Convicções existente dentro da sua cabeça. Analisaria tudo aquilo na qual acredita, e, daí sim, daria o seu pronunciamento. Sem saber, você estaria com isso colocando em prática a sua cosmovisão: O termo cosmovisão é uma tradução da palavra alemã (weltanschauung, que significa ‘modo de olhar o mundo’ =welt – mundo, schauen – olhar). É a maneira como a pessoa encara, age e reage em relação aos acontecimentos. Em definição, cosmovisão é um conjunto de suposições e crenças que alguém utiliza para interpretar e formar opiniões acerca da sua humanidade, propósito de vida, deveres no mundo, responsabilidades para com a família, interpretação da verdade, questões sociais, etc. A ‘forma de ver o mundo’ de uma pessoa não fica isolada apenas na cabeça dela. Pelo contrário, é a força que o leva a agir em todas as esferas da sua vida. Com efeito, quando alguém acredita em uma cosmovisão completamente equivocada os resultados disso podem ser drásticos, não somente para a pessoa, mas também para toda a sociedade. Como exemplo claro e histórico tem-se o caso de Adolf Hitler. Suas nefastas ideias sobre a superioridade da raça ariana e as suas teses racistas e anti-semitas foram responsáveis pelo genocídio de milhares de pessoas, desencadeando, inclusive, a 2ª Guerra Mundial.

Da mesma forma, para todos quantos acreditam que Deus não existe, que o homem é fruto do acaso, e que não existe um Criador a quem terão que prestar contas mais cedo ou mais tarde, questões como adultério, homossexualismo, aborto e eutanásia são analisadas simplesmente pela ótica terrena e passageira. Caso em que, segundo a visão secular, tais atos são plenamente aceitáveis no pensamento do homem moderno.

No âmbito da moral, atualmente, os resultados da cosmovisão secular (aquela que “baniu” Deus da sociedade) são notórios. Conforme alerta Mathew Slick “O resultado da cosmovisão secular pode ser vista ao nosso redor. Ao observarmos a sociedade fica evidente que nem tudo vai bem. A televisão tem se degenerado tornando-se um “bordel” de violência, pornografia “leve”, seriados que destroem a família, comerciais que apelam para a gratificação imediata dos prazeres, e desenhos animados que são cheios de violência, ocultismo, e desobediência aos pais.”

Em resumo, uma cosmovisão possuí como elementos principais informações nas quais possam responder as maiores indagações do ser humano: Quem somos? De onde viemos? Para onde vamos? Qual o propósito da vida? Por que o mal existe? Diante de tantas cosmovisões existentes no mundo (ateísmo, teísmo, panteísmo, deísmo, politeísmo, etc.) a pergunta que fica é a seguinte: Qual cosmovisão escolher? Seria simplesmente aquela que faz a pessoa sentir-se bem, ou aquela que a levará a bênção hoje e eternamente?

Nesse tom, Charles Colson e Nancy Pearcey argumentam que o cristianismo vai além de João 3.16, além da fé privada e da salvação pessoal. Ele é nada menos que a estrutura para a compreensão total da realidade. É a forma de ver a própria vida. Ele vai além da mera realização de “eventos espirituais” e agendas festivas, sobretudo, é responsável por redimir toda uma cultura em decadência e implantar o padrão bíblico de vivência. Seus princípios abordam todos os campos de atuação do homem. Seus fundamentos adentram nos vários extratos sociais e intelectuais da sociedade, numa síntese daquilo que disse Cristo: “Vós sois do sal da terra e a luz do mundo”.

Instrução dos Filhos dos Crentes

Deus em sua Palavra chama aqueles que creem em Jesus Cristo para criar seus filhos “na disciplina e admoestação do Senhor” (Efésios 6:4). A criação ou educação total dos filhos dos crentes deve ser uma criação que tenha Deus como sua fonte, como seu padrão, como seu objetivo e como o seu centro. Ela deve ser uma criação em Jesus Cristo, pois é Jesus quem é o “Senhor”.

A Recompensa

Há dificuldades especiais envolvidas na manutenção de Escolas Cristãs… Mas o sacrifício não é digno de ser comparado com a recompensa.

A recompensa está implicada no provérbio: “Ensina a criança no caminho em que deve andar, e, ainda quando for velho, não se desviará dele” (Provérbios 22:6). É uma obra prazerosa ser instrumento no treinamento de filhos do pacto, para que eles vivam e trabalhem neste mundo como aqueles que veem e buscam o Senhor nosso Deus em tudo. É um privilégio se esforçar ao máximo para que as crianças e os jovens não ignorem nem neguem a Deus nas “coisas terrenas”, mas, em e com todas as coisas “terrenas”, confesse o nome de Deus e faça tudo para a sua honra.

Escolha a cosmovisão que deseja ao seu filho, você é o responsável diante de DEUS pela vida daqueles que ELE mesmo lhe confiou.

Em aliança,

Veronica Santos Marconi
Diretora IAVEC
Pedagoga e Mestre em Educação Cristã